Cooperando…

Últimas

CD Entreguei

Finalmente o cd Entreguei está na fábrica.

Gravado ao vivo em Novembro de 2010 no encontro Adorarte juntamento com os jovens da Igreja da Grande Vitória.
Esta gravação teve a participação de aproximadamente 700 jovens, discípulos de Jesus que entregaram sua vida àquele que pode dar a salvação. Também tivemos a participação do querido irmão Daniel Souza de São Vicente.

Abaixo segue uma palavra que o também querido irmão Dag Gabler compartilhou na gravação:

“No livro de Êxodos capítulo 21 versículo 5, encontramos o ensino a respeito do escravo de amor. Alguém que após seis anos de trabalho como escravo, estando apto a ganhar a sua liberdade completa, abre mão dessa oportunidade por uma razão única: Dada a condição em que vivia decide que quer, de livre vontade, permanecer naquela condição de escravo por amor a sua família e a seu senhor. Não por imposição ou força
exterior, mas por amar. Este homem decide permanecer escravo naquela casa pelo restante de sua vida.

Cremos que em nossos dias é exatamente esse tipo de servo que o Senhor está buscando. Não homens cheios de medo do inferno ou desejosos das delícias dos céus, mas homens que conhecem o sublime amor do Pai e, por desfrutarem desse amor, desejam gastar os seus dias com Ele.

Diante do amor de Deus derramado em nossos corações pelo Espírito Santo. Amor incondicional, amor soberano, amor sublime, que nos reconcilia com ele quando ainda éramos inimigos de Deus, esse amor que nos chama ao discipulado com Cristo. Que podemos fazer, se não nos
rendermos e entregarmos tudo em Suas mãos? A ao fazer isso percebemos que, na verdade, o que considerávamos tudo tanto é nada, diante da sublimidade daquele que nos chama para a Sua bendita comunhão.

Assim, entregando tudo, podemos seguir alegremente no caminho, sabendo que agora sim possuindo nada, tenho absolutamente tudo naquele que é a plenitude de todas as coisas.”

Que este trabalho possa colaborar para que você conheça a Jesus Cristo, o filho do eterno Deus de amor!

Para ouvir o cd é só clicar em http://www.facebook.com/#!/pages/R%C3%B4mulo-Racanelli/128087183963128?sk=app_178091127385

No amor de Jesus… Rômulo Racanelli

Anúncios

Nas mãos do ourives

Havia um grupo de mulheres num estudo bíblico do livro de Malaquias. Quando elas estavam estudando o capítulo três, elas se depararam com o versículo 3 que diz: “Ele se assentará como um refinador e purificador de prata…“. Este verso intrigou as mulheres e elas se perguntaram o que esta afirmação significava quanto ao caráter e natureza de Deus.

Uma das mulheres se ofereceu para tentar descobrir como se realizava o processo de refinamento da prata e voltar para contar ao grupo na próxima reunião do estudo bíblico. Naquela semana esta mulher ligou para um ourives e marcou um horário com ele para assisti-lo em seu trabalho.

Ela não mencionou a razão de seu interesse na prata nada além do que sua curiosidade sobre o processo de refinamento da prata. Enquanto ela o observava, ele mantinha um pedaço de prata no fogo e deixava-o aquecer. Ele explicou que no refinamento da prata devia-se manter a prata no meio do fogo onde as chamas eram mais quentes de forma a queimar todas as impurezas. A mulher pensou em Deus mantendo-nos em um lugar tão quente; depois, ela pensou sobre o verso novamente… ” Ele se assenta como um refinador e purificador de prata”.

Ela perguntou ao ourives se era verdade que ele tinha que sentar-se em frente ao fogo o tempo todo que a prata estivesse sendo refinada. O homem disse que sim, ele não apenas tinha que sentar-se lá segurando a prata, mas também tinha que manter seus olhos na prata o tempo inteiro. Se a prata fosse deixada, apenas por um momento em demasia nas chamas, ela seria destruída.

A mulher silenciou por um instante. Depois, ela perguntou: “Como você sabe quando a prata está completamente refinada?”. E o homem respondeu: “Oh, é fácil! – o processo está pronto quando vejo minha imagem refletida nela”.

Extraido de http://www.mobilizacoes.com – Site do querido Nelson Junior

Experiência do fim de semana

Quero compartilhar com vocês um breve testemunho que ouvi neste final de semana. Leiam… vale a pena…

Sábado estávamos na casa de um amigo e vimos um  DVD do Pr.Aloísio e neste dvd ele falava sobre a diferença entre pai e patrão nas equipes de ministérios pastorais…

Enfim… Lá pelas tantas o Pr. Aloísio compartilhou um testemunho que me deixou de cabelo em pé! Ele contou que tinha um pastor conhecido deles que pastoreava uma congregação de umas 1.000 pessoas e tinha até programa de TV, e com esse programa ele chamava o povo pra ir à igreja.Era uma igreja baseada somente em eventos/programações.

Aí um outro grupo evangélico comprou a emissora na qual esse pastor tinha o programa dele. Com isso a igreja começou a diminuir o número de membros porque não tinha mais como o pastor convidar as pessoas para os cultos.

Resultado: A igreja ficou só com uns 80 membros.

Com isso, o pastor foi forçado a reavaliar suas condutas e porturas. Ele começou, então, a caminhar como células (igreja nas casas, grupos caseiros, enfim…) e começou a aprofundar nos relacionamentos e as coisas começaram a andar. Nesse pé da historia, num dia desses, um homem aparaceu pra ele querendo conversar. Esse homem disse para essa pastor: “Não adianta amarrar, expulsar, sou eu mesmo que estou falando contigo (um demônio)” Dai o demônio continuou o assunto e disse: “Quero que você pare com esse negócio de igreja nas casas, quero que você pare com esse negócio de células. Se você quiser eu devolvo o teu programa de TV. É só vc parar com esse negócio de células”. Daí o pastor ficou arrepiado da cabeça aos pés.
O pastor expulsou o demônio do rapaz que estava falando com ele e entendeu que a igreja nas casas, com sua eficácia e relacionamentos profundos estavam encomodando o inferno.

Amados, com isso não quero fazer propaganda de um método. Já passei por alguns métodos e não levaram a nada. Mas quero aqui deixar nestas poucas linhas que a Igreja de Cristo é pra ser vivida através de relacionamentos profundos. Nos pequenos grupos aprofundando a edificação e o relacionamento com vistas à edificação.

Como eu já disse, não queremos polemizar, ném fazer progapanga de métodos, mas queremos compartilhar com você que está lendo este artigo, que se você quer viver a Igreja, se faz necessário desejar adentrar nas casas.

Um grande abraço a todos e um 2011 cheio de Cristo.

Rômulo Racanelli

Cristo em nós

Olá queridos…

Paulo, na carta que ele escreveu aos Colossenses, no capítulo 1, versículo 27 diz o seguinte: “Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória.”

Um dia desses eu estava com um irmão em uma reunião de discípulos num pequeno auditório. Naquela reunião, como é de costume, cantamos e adoramos a Deus através da música. E uma das músicas dizia a respeito de um rio que flui do trono de Deus.

Não há nada de errado no Rio de Deus fluir. Mas vamos dar uma olhada nestas palvras de Jesus:
“Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva fluirão do seu ventre” (João 7:38).

Pra quem crê em Jesus, como diz a Escritura, o rio, na verdade, já está dentro de nós. Cristo já está dentro de nós. O Seu Espírito está dentro de nós. Fomos revestidos de Cristo no batismo (ver Gálatas 3:27).

O Cristo que está dentro de nós só precisa fluir. O nosso possível problema não é a falta de Cristo (falo isso para aqueles que verdadeiramente se arrependeram e se converteram a Jesus), mas sim o fluir Dele através de nós.

O mundo ansei pelo fluir de Cristo através de nós. Por que? Porque Cristo em nós, isto é, dentro de nós e fluindo, é a esperança da glória. Cristo em nós e fluindo através de nós é a esperança para este mundo. Cristo em nós e fluindo através de nós é a esperança para parte da Igreja desviada de seu propósito.

Amados, não falo isso como superior a ninguém. Falo isso quem está ao lado, porque tenho meus problemas, fraquezas e etc. Mas deixemos Cristo fluir através de nós.

Um outro aspecto que precisamos entender como que Cristo deve fluir através de nós é em relação a como vivemos e somos igreja.

Se entendemos que Cristo Jesus está em nós através do Seu Espírito, não vamos lidar com a igreja como espectadores. Vamos lidar com ela entendendo que somos parte de um corpo. Que não estamos juntos só pra “sugar”, mas para dar, compartilhar, doar, suportar, carregar, amar (que está acima de tudo) e tudo o que nos tira de uma posição de espectadores.

O que acontece geralmente no meio da igreja é que uma pequena “meia dúzia” de pessoas, “fazem” a obra e a grande maioria esmagadora participa como espectadores ou receptores de mensagens e sermões.

Não há nada de errado com boas mensagens e bons sermões, mas Jesus quer corpo. No corpo todos dão a justa cooperação (ver Efésios 4:16). No corpo todos se importam, todos se ajudam, todos são um. A idéia de Paulo em falar que a Igreja é o Corpo de Cristo não é algo meramente simbólico, é uma realidade que pode ser vivida.

Quando o Cristo está em nós manifestamos esta vida no Corpo e fora dele. No Corpo quando servimos, amamos, discipulamos, cooperamos e etc… E fora do Corpo quando proclamamos àqueles que não conhecem o Pai e a Jesus.

Amados, Cristo está em nós. Deixemos Ele fluir.
Se crermos em Jesus como diz a escritura, do nosso interior fluirão rios de água viva. Não sou eu quem digo isso, mas o próprio Jesus.

 No amor de Jesus…

Rômulo Racanelli

A base mais forte do discipulado

Oi Pessoal!

Quero compartilhar com vocês um dos textos que mais me impactaram na minha caminhada cooperando no Corpo de Cristo.

O irmão que o escreveu é o Moysés Cavalheiro. Ele é um dos pastores (presbítero) da Igreja em Porto Alegre. Este senhor, já cooperou muito e continua cooperando com o Corpo de Cristo no Sul e no Brasil.

Segue abaixo o texto:

A BASE MAIS FORTE DO DISCIPULADO

A base mais forte e poderosa do discipulado não é, como muitos pensam, a obediência. É possível obedecer apenas porque não há outro jeito, com medo das consequências. É a obediência de coração gelado!

A base mais forte e poderosa do discipulado é o amor. E, quando vivemos pelo amor, até a obediência fica doce, agradável e fácil.

Recuperando Simão Pedro de sua queda (a negação), Jesus lhe perguntou: “…amas-me?”. Diante da resposta positiva de Simão, dada por três vezes, Jesus acrescentou: “Apascenta as minhas ovelhas” (Ver João 21.15-18).

O discipulado de Simão o levaria a ganhar muitos para Cristo. Mas Jesus, de fato, está a dizer-lhe: “Amas-me? Não faças convertidos ao teu modo de pensar e, sim, cuida das minhas ovelhas, vê que estejam bem nutridas por Me conhecerem a Mim”!

A mente dos “educados” de hoje se escandaliza com Jesus! As mentes “evoluídas” deste nosso mundo só aceitam Jesus como um camarada, um ensinador de moral… Jesus diz que as ovelhas são dele. Pronto. E só isso!

A mente moderna, pervertida, não quer ser devotada a Jesus. No máximo, aceita a causa a que Ele se devotou, mas não O aceita. E não entende que a Sua causa foi o amor às pessoas, não a uma causa. Foi o amor que o trouxe do céu à terra (João 3.16).

Se me devoto à causa dele sem amor, logo acabarei esgotado, exausto, tenso, desmotivado. Mas, se amo a Jesus de coração, servirei às pessoas com o amor dele, mesmo que elas me tratem como um capacho, porque o amor é a base mais forte, invencível, profunda, elevada e ampla do discipulado.